Real Mosteiro de Guadalupe Património da Humanidade

700 anos de história

Reza a lenda que, no início do séc. XIV, nos vales de Las Villuercas, o pastor Gil Cordero procurava uma vaca perdida do seu rebanho e a encontrou morta. Quando estava a ponto de esquartejar o animal, este voltou à vida. Nesse instante, apareceu-lhe a Virgem, que lhe transmitiu o seu desejo de que anunciasse o prodígio e escavasse no mesmo local onde encontrara a sua vaca morta. Ali apareceu a imagem de Santa María de Guadalupe e rapidamente se espalhou a sua fama de milagreira.

O rei Afonso XI ouviu os relatos milagrosos que se contavam da Virgem e tornou-se devoto de Santa María de Guadalupe, encomendando-se à santa antes da famosa Batalha do Salado, do qual saiu vitorioso apesar da inferioridade numérica das suas tropas. Agradecido, fez uma peregrinação até Guadalupe e concedeu à sua humilde igreja privilégios e rendas que permitiram a construção do seu santuário.

A fama de Guadalupe espalhou-se com rapidez e rapidamente se transformou no centro devocional de todo o sul peninsular. Pouco depois chegaram os monges Jerónimos, que custodiaram o santuário desde 1389 até 1835, passando várias décadas sem a proteção de ordem religiosa alguma, até que, em 1908, os Franciscanos aceitaram ficar responsáveis pelo mosteiro.

A 12 de outubro de 1928, a Virgem de Guadalupe foi coroada canonicamente Rainha das Espanhas e, em 1907, foi nomeada padroeira da Extremadura.

Desde então, o mosteiro tornou-se na referência espiritual da Extremadura, que celebra a sua padroeira a cada 8 de setembro, o mesmo dia da festa da Comunidade Autónoma da Extremadura.

A fachada principal do mosteiro é mudéjar, tal como um dos seus dois claustros, sendo o segundo gótico. Guarda importantes iluminuras , bordados, relicários, obras pictóricas do artista estremenho Zurbarán, de El Greco e outros pintores, esculturas, ourivesaria e trabalho em bronze, um autêntico guarda-joias que encerra dentro de si vários museus: o de Bordados, o de Iluminuras e o de Pintura e Escultura.

A igreja é gótica, do séc. XV, o coro e o cadeiral são obras de Manuel de Larra Churriguera. A imagem da Virgem de Guadalupe data dos sécs. XII-XIII. Na sacristia guardam-se obras do célebre pintor Francisco Zurbarán.

O Real Mosteiro foi declarada Monumento Nacional em 1879 e, posteriormente, em 1993, Património da Humanidade pela UNESCO.

Tempo

Guadalupe

3Feb

Despejado

5 ºC

17 ºC

4Feb

Despejado

7 ºC

18 ºC

5Feb

Despejado

5 ºC

17 ºC

6Feb

Despejado

4 ºC

15 ºC

7Feb

Intervalos nubosos

1 ºC

12 ºC

Em imagens

AltAltAltAltAltAltAltAltAlt

Se você gosta Real Mosteiro de Guadalupe Património da Humanidade você também vai gostar...

Alt

Conjunto Histórico de Robledillo de Gata

Robledillo de Gata é um município pertencente ao distrito da Serra de Gata. O seu Conjunto Histórico constitui uma das melhores mostras de arquitetura popular e doméstica que se conservam na...

Alt

Conjunto Histórico de Villanueva de La Vera

Trata-se de uma das localidades mais orientais do distrito de La Vera, declarada Conjunto Histórico em 1982.

Alt

Conjunto Histórico de Cuacos de Yuste

Corria o ano de 1959 quando se declarou a vila de Cuacos de Yuste, pertencente ao distrito de La Vera, Paragem Paragem Pitoresca. Trata-se de uma qualificação equivalente à atual declaração de Bem...

Alt

Conjunto Histórico de Galisteo

Galisteo é uma localidade situada a 90 quilómetros da capital de Cáceres, junto ao rio Jerte.

Mais coisas que você pode encontrar em Villuercas Ibores Jara

Alt

Conjunto Histórico de Guadalupe

Guadalupe é conhecido pelo seu famoso mosteiro, mas o município alberga outros marcos arquitetónicos, urbanísticos e culturais que o tornaram vencedor do título de Monumento Histórico-Artístico,...

Servicios turisticos

No Instagram...